ÁREA DO CLIENTE

Esqueceu sua senha?

Notícias

Proprietários devem ficar atentos à deterioração de imóveis vazios

Quando um proprietário deixa algum imóvel vazio, seja porque não conseguiu alugar, ou porque não quis, viajou por muito tempo, ou qualquer outra razão, pode acabar se assustando com seu estado, ao voltar a vê-lo. Para evitar esses sustos, resolvemos falar sobre esse assunto no post de hoje. Confira abaixo!

Independente do tipo e do tamanho do imóvel, quando se fica muito tempo longe dele, algumas “surpresas” podem aparecer, como, por exemplo, poeira por toda a parte, teias de aranha, pias e vasos marcados com cor de ferrugem, infiltrações, mofo, e muitas outras coisas.

Isso porque algo óbvio, porém não tão observado pelos proprietários, é que imóveis vazios se deterioram muito rápido, necessitando de alguns cuidados regulares, mesmo que não esteja em uso, para que outros gastos futuros, de reparação, muito maiores do que os de prevenção, sejam evitados.

Por isso a manutenção periódica de qualquer propriedade é tão importante. De outra forma, várias partes do imóvel podem estragar e se danificar, e, com isso, ele acaba se desvalorizando. E, como mencionado, o conserto dos danos demandará muito mais investimento – de tempo e dinheiro.

Além de situações “naturais”, que já são esperadas (como sujeiras, em geral), algo mais grave pode acabar acontecendo, como o estouro de alguma tubulação, a aparição de uma infiltração, entre outras coisas. Portanto, é essencial ter alguém que visite, pelo menos com alguma frequência, o local, checando-o.

Para evitar tomar sustos maiores, caso você não visite o imóvel com frequência, deixe uma cópia das chaves com o síndico ou um vizinho de confiança, para que essa pessoa possa entrar em ação no caso de algum imprevisto mais grave acontecer e você não estiver por perto.

Providencie, também, alguém que “dê uma geral” no imóvel a cada quinze dias, pelo menos. Isso evita o acúmulo de sujeira, a presença de insetos, além de focos de mosquito. Se você tem o interesse de manter o imóvel alugado, isso se torna ainda mais importante, assim como manter a pintura em dia, por exemplo.

Se você ou qualquer pessoa que for ao imóvel observar algum sinal de infiltração, por menor que seja, busque o conserto imediato, evitando maiores estragos e prejuízos. Portas e janelas também precisam estar funcionando corretamente, devendo ser verificadas de tempos em tempos.

Papéis de parede tendem a gerar mofo e, por isso, devem ser evitados nos locais que ficam sozinhos. Em relação às tintas, opte pela pintura epóxi em ambientes com umidade, já que esse material é mais resistente à água e às variações de temperatura, além de ser de fácil manutenção.

Em locais próximos a aglomerações industriais ou diante do mar, a atenção deve ser redobrada, já que fenômenos como a maresia, por exemplo, aceleram a deterioração dos móveis e objetos. A umidade é uma grande vilã, e o salitre, outro. Por isso, evite o uso de metais cromados, preferindo alumínio e aço inox.

Portanto, não deixe que o fato do imóvel estar vazio cause a deterioração do mesmo. Cuide dele, preservando-o, e opte por intervenções preventivas, que são sempre mais baratas e fáceis do que as corretivas, além de zelarem por uma vida útil maior das instalações. #FicaADica