ÁREA DO CLIENTE

Esqueceu sua senha?

Notícias

História dos bairros: Tijuca

Bairro muito tradicional e querido na Cidade Maravilhosa, a Tijuca abriga, na Zona Norte carioca, pessoas e famílias de classes média e média alta. Sobre esse importante local do Rio de Janeiro, falaremos melhor, a seguir, na matéria de hoje. Continue lendo e confira tudo!

Seu nome não remete a algo muito bom… De origem tupi, significa água podre, com a junção de “ty” (água) e “îuká” (matar). Esse nome se refere ao local da Lagoa da Tijuca, com muito mangue e água parada, e que, atualmente, se separa do bairro por conta do Maciço da Tijuca.

A região fora ocupado pelos padres jesuítas por volta de 1565. Eles instalaram grandes fazendas de cana-de-açúcar, construindo, também, uma capela dedicada a São Francisco Xavier. Em 1759, foram expulsos do Brasil pelo Marquês de Pombal, e as fazendas foram vendidas a outras pessoas, que urbanizaram o bairro.

Possui a terceira maior floresta urbana do mundo, a Floresta da Tijuca, que fora plantada por determinação de Dom Pedro II, na segunda metade do século XIX, sob o comando do Major Archer, a fim de combater a falta de água que se instalara na (então) capital do império.

O censo de 2000 afirmou que a Tijuca tinha quase 57 mil domicílios, com população de quase 164 mil habitantes. Apesar de ser um bairro residencial, possui grande comércio e prestação de serviços, concentrando-se, principalmente, perto da Praça Saens Peña. O transporte público funciona bem no local, com várias linhas de ônibus e estações de metrô.

A Tijuca briga tradicionais centros de ensino cariocas, como, entre outros, o colégio Pedro II, o Colégio Militar do Rio de Janeiro, o Colégio Marista São José e o Colégio Batista Shepard. Além disso, também possui muitos clubes, como o Tijuca Tênis Clube, o América Football Club, Country Clube, Monte Sinai, a Associação Atlética da Tijuca.

Entre as principais construções históricas do bairro estão as igrejas de São Francisco Xavier, de São Sebastião dos Capuchinhos, de Santo Afonso, Santa Teresinha e dos Sagrados Corações, o palácio dos Bianca (construído na década de 20), hoje convertido no Centro de Referência da Música Carioca, e a Casa Granado.

E você, gostou de conhecer um pouco mais sobre esse tradicional bairro carioca?! Esperamos que sim, pois ele foi e continua sendo peça chave no desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro.