ÁREA DO CLIENTE

Esqueceu sua senha?

Notícias

História dos bairros: Centro

O post de hoje vem contando a história e falando de alguns lugares importantes de um bairro, de fato, com muita tradição. O Centro da Cidade Maravilhosa já presenciou diversos momentos importantes e, por isso, foi o escolhido para ser retratado desta vez. Conheça tudo abaixo!

Na Zona Central do Rio de Janeiro, possuindo alguns edifícios residenciais, mas a maioria, comerciais e turísticos, o Centro abriga muitas instituições financeiras e escritórios, além de prédios históricos e alguns arranha-céus.

Quando o Rio, à época, cidade de São Sebastião, foi elevado à condição de sede administrativa da colônia do Brasil, em 1763 (até 1960, quando perdeu o posto de distrito federal para Brasília), o Centro se tornou palco de grandes e decisivos eventos da história do país.

Seus limites incluem os sub-bairros de Fátima, Castelo, Cinelândia, Largo da Carioca, Livramento, Praça XV e Uruguaiana. Algumas construções antigas permanecem até hoje, tendo-se transformadas em importantes atrações turísticas.

O Centro Histórico é composto por edificações ligadas ao período colonial – desde o começo da fundação da cidade – e também posteriormente, com a vinda da Família Real e Corte Portuguesa para o solo canarinho. Não faltam lugares antigos e lindos para visitar, e, sobre alguns deles, falaremos abaixo.

  • Praça XV: chamada de Largo do Carmo, depois, Largo do Paço, para, então, ter o nome oficial de hoje, abriga o Paço Real/Imperial, o Arco do Teles e o Chafariz da Pirâmide. Além disso, as Igrejas Do Carmo (Antiga Sé) e da Ordem 3ª do Carmo (uma ao lado da outra) também estão por lá.
  • Rua Primeiro de Março: previamente conhecida como Rua Direita, era a principal Rua do Rio de Janeiro. Nela, encontram-se as Igrejas São José, a de Santa Cruz dos Militares, além das duas mencionadas no tópico anterior. O antigo prédio do Convento do Carmo também se situa nessa rua (em frente à Praça XV), e o Paço Imperial está de fundos para ela. Também abriga o Palácio Tiradentes (onde existia a Cadeira Velha e Câmara), além da antiga sede do Banco do Brasil, atualmente, o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).
  • Rua do Mercado: abrigava, antigamente, um mercado, ganhando, por isso, esse nome. Nela, está a Casa França Brasil. Na mesma área, muitos bares e restaurantes podem ser encontrados, e estão por perto a Rua do Ouvidor, do Rosário e Travessa do Comércio – todas muito antigas.
  • Largo da Misericórdia: pertinho da Praça XV, abriga construções antigas e preservadas, além de uma verdadeira relíquia – um trecho da Ladeira da Misericórdia (que subia para o Morro do Castelo). Na região, também estão a Igreja de Nossa Senhora de Bonsucesso, além da Santa Casa de Misericórdia e Igreja de Santa Luzia – ambas na Rua Santa Luzia. Perto dali, está o Museu Histórico Nacional.
  • Praça Mauá: no início da colonização, era uma praia com pequeno cais, abrigando alguns edifícios ainda preservados, do século XX. Estão, em seu entorno, o Morro de São Bento, com o Mosteiro de São Bento e a Igreja de Nossa Senhora Montserrat. Atualmente, abriga o famoso Museu do Amanhã.
  • Bairro Saúde: vizinho da Praça Mauá, ele abriga a Igreja de São Francisco. Lá perto, no Morro da Conceição (entrada pela Rua do Acre), está a Fortaleza da Conceição, e o antigo Palacete do Bispo, construções muito antigas, de três a quatro séculos atrás.
  • Largo da Carioca e Passeio Público: no Largo da Carioca se encontra o preservado Convento de Santo Antônio – e suas Igrejas anexas. Um pouco mais para o sul, encontra-se o Passeio Público, um parque construído ao final do século XVIII, que teve muitas partes demolidas e modificadas.
  • Largo da Lapa/Aqueduto da Carioca: o Aqueduto da Carioca, também conhecido como Arcos da Lapa, levava água para os chafarizes que existiam no Largo da Carioca. Lá, está localizada outra Igreja história, a do Carmo da Lapa.
  • Praça Tiradentes: saindo do Largo da Carioca pela Rua da Carioca, encontra-se a Praça Tiradentes, já chamada de Largo do Rócio e Praça da Constituição. Ela possui construções importantes em seus entornos, mas está bastante descaracterizada, por isso, passa por um processo de revitalização.
  • Campo de Santana: atualmente chamada de Praça da República, o Campo de Santana ganhou importância no século XIX. Sofreu muitas interferências, tendo Igrejas e outras construções demolidas, mas também feitas. Foi transformado num imenso parque ainda na segunda metade do século XIX, tendo parte de sua área reduzida e aberta para a Avenida Presidente Vargas, no século XX.

Com tantos lugares para visitar, cheios de histórias para conhecer, o ideal é tirar alguns dias para desvendar cada cantinho, da melhor forma, aproveitando ao máximo. Essa é nossa dica de hoje. Gostou?! Esperamos que sim e que tenhamos te inspirado a (re) descobri-los!